Alegria

Texto Base: Evangelho de João Capítulo 2, Versículos 01 a 11. (Versão ACF).

E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. E foi também convidado Jesus e os seus discípulos para as bodas. E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes. Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram. E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo, E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho.
Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele.

Pontos Para Reflexão:

Jesus evitou que aquele casamento fosse marcado pela vergonha, por falta de um elemento importante na festa daquele casal judeu, o vinho. Com certeza, os noivos ficariam constrangidos. Provavelmente a festa terminaria e os convidados iriam embora antes do esperado…

Mas Jesus providenciou que a alegria dos noivos não fosse prejudicada por essa questão, e usou o seu poder, dando assim início ao seu ministério, em um casamento.

Interessante observar que o ministério do Senhor Jesus tenha iniciado em um casamento… Providenciando e preservando a alegria de um casal que estava começando a sua vida conjugal…

Jesus se importa com a nossa alegria. Seja a alegria dentro do casamento, seja a alegria em nossa vida profissional, nas relações familiares… A nossa alegria é importante para Deus.

Eventualmente, podemos sentir algum aspecto da nossa vida, vazio, como as talhas de pedra, naquele casamento. A questão é que não é da vontade de Deus que nós percamos a nossa alegria. Pelo contrário, o Senhor deseja que sejamos alegres. Felizes.

Também é interessante observar que, ao mesmo tempo em que Jesus estava providenciando que a alegria não viesse a faltar nas bodas daquele jovem casal, eles nem sequer sabiam do milagre que estava ocorrendo nos bastidores. O que me leva a pensar sobre o quanto nós nos importamos com a alegria dos outros…?

A primeira questão que se levanta aqui: Se Jesus não tivesse sido convidado, o milagre não teria ocorrido. Podemos concluir então, que se não convidarmos Jesus para participar da nossa vida, os milagres não ocorrerão! O primeiro passo, portanto, é se certificar de que Jesus está presente em nossa vida. Que Ele se encontre “na festa”. Jesus está presente em sua vida?

A Segunda questão importante, é que uma vez que eu tenha Jesus presente em minha “festa”, (minha vida), é preciso pedir que ele intervenha. Jesus estava lá, mas se Maria não pedisse, provavelmente a transformação da água em vinho, não teria ocorrido. Ela sabia que Jesus tinha o poder de resolver aquele problema, e pediu. Muitas vezes nós erramos, acreditamos que temos Jesus em nossas vidas, mas não temos intimidade com Ele, como se têm com um bom amigo. Não O chamamos para as nossas questões, nem Lhe pedimos que nos ajude… Como é o seu relacionamento com Jesus? Você conversa com Ele sobre os seus problemas? Pede ajuda a Ele?

A terceira questão que desejo levantar aqui, é o quanto a alegria daqueles que nós amamos, é importante para nós? E se a alegria daqueles que amamos, é importante, o quanto de fato nos preocupamos em pedir a ajuda de Jesus para eles? (Muitas vezes sabemos que o outro pode enfrentar um problema e percebemos isso antes mesmo do que a própria pessoa…), Mas o que fazemos com isso? Preocupamo-nos? Ajudamos? Pedimos ao Senhor que ajude? Pode ser um filho que você está vendo que vai ter problemas mais adiante, ou o marido, uma amiga… Nesse caso, você procura Jesus para que intervenha? O quanto a alegria das pessoas que você ama, é importante para você? E se é… O que você têm feito a respeito disso?

Rosileni Mansano,

Teóloga, Psicanalista

 Especialista em Psicologia social.


1 comentário

Claudio silva · agosto 10, 2021 às 10:10 am

Deus abençoe esse site gostei muito

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *